90 minutos para decidir o futuro do Vitória

Coletiva Mancini. Foto: Maurícia da Matta

O técnico Vagner Mancini sabe do desafio que enfrentará no próximo domingo, no estádio Moisés Lucarelli, quando encara a equipe da Ponte Preta. As duas equipes fazem uma “final” para fugir da zona de rebaixamento, o Leão ocupa a 16ª colocação e a Macaca está na 17ª, com 39 pontos.

Mancini testou algumas possibilidades, utilizando novas peças no seu esquema tático. Mas o treinador garante que apenas as peças serão alteradas, mas a postura que o time vem adotando fora de casa será a mesma.

“Decidi com a minha equipe de trabalho que seria uma semana diferente, pois ela vale o ano para gente, também vale o ano de 2018. Intensifiquei a parte tática e dentro disso acabamos tendo que fazer algumas ajustes na equipe, estou falando em mudanças de peças. Não muda muita coisa, a postura fora de casa tem que ser a mesma, esperando o adversário e saindo rápido para o ataque”. Disse o treinador.

O lado psicológico também foi trabalhado ao longo da semana, Vagner Mancini acredita que a pressão vai ser a temática do jogo. Contudo, o treinador acredita que os jogadores do Vitória têm que usar essa pressão a favor, a final o torcedor pode ficar impaciente com o desempenho da Ponte na partida.

“Nós vamos enfrentar um estágio contagiado, um time que está acostumado a pressão, uma torcida que cobra desde o inicio da partida. O Vitória tem que saber que serão detalhes que irão decidir, temos que ter um time que saiba perceber o que está acontecendo no estádio. Temos que jogar futebol, por isso temos que ter uma equipe equilibrada na marcação e que saia bem com a bola”. Revelou Mancini.

Para o técnico do Vitória, em uma primeira análise, o empate não interessa. Mas a equipe sabe que se Avaí e Sport perderem os seus jogos, o empate poderá ser um grande resultado fora de casa.

“O empate é péssimo resultado. Mas se a gente voltar um pouquinho, o empate com o Cruzeiro também era péssimo e nos deixou em uma situação em que nós dependíamos só da gente, ou seja, se Avaí e Sport perderem os seus jogos, o empate passa ser bom pra gente. Temos que ter uma postura de uma equipe que quer matar o jogo, temos oportunidade de em 90 minutos decidirmos o futuro do clube”.

Osvaldo Barreto
Sobre Osvaldo Barreto 514 Artigos
Advogado. Estudante de Jornalismo (Estácio). Colunista e repórter do Esporte Clube Vitória.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*