Bahia e Vitória fazem a final mais importante do futebol brasileiro

São 75 títulos em campo. Isso quer dizer que Bahia e Vitória, juntos, representam mais de 65% de todos os títulos baianos conquistados até aqui. Apesar do Bahia ser o maior vencedor, o Vitória tem vantagem quando o assunto é BaVi em final: venceu 12 e perdeu 11. O Bahia entra em campo para tirar essa vantagem e o jogo de amanhã às 16h sob os olhos e cânticos de seu torcedor se fazem fundamentais para o Tricolor conquistar esse objetivo.

Se por um lado o Bahia quer sair da fila e impedir o seu maior rival de conquistar um tricampeonato que não acontece desde 2009, o Vitória busca se afirmar como a potência do Estado, além de defender a sua honra após toda a repercussão do vergonhoso BaVi do dia 18 de fevereiro: o enquadramento tornou o Vitória uma espécie de vilão. Treinador, jogadores importantes e o próprio clube foram punidos. Vencer este Campeonato Baiano será uma demonstração de força para o Leão.

Falando do jogo de amanhã, o Bahia tem os desfalques de Edson e Rodrigo Becão, ambos suspensos por pena do TJD-BA. A grande baixa do time de Guto Ferreira é a de Nino Paraíba, que foi expulso no jogo contra a Juazeirense na segunda partida da semifinal. As grandes esperanças do Bahia vêm da divisão de base: Marco Antônio segue em crescente e ganhou a posição na esquerda do ataque. Enquanto isso, Júnior Brumado se tornou uma espécie de décimo segundo jogador e tem entrado bem.

Júnior Brumado vai para seu terceiro BaVi como profissional. É esperança de gols no Bahia. Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Jogadores como Tiago e, principalmente, Edigar Junio também são pontos fortes do Bahia. Nem o capitão, nem o artilheiro (que é o mais longevo do elenco) conhecem o sabor de vencer o Campeonato Baiano. A situação para Edigar é de sede ainda maior já que ele parou em seu maior rival nas duas últimas temporadas.

Edigar Junio e Tiago são dois dos atletas mais antigos do elenco. Eles nunca levantaram o troféu do Campeonato Baiano. Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

O Vitória precisa “se virar nos 30” para montar um time para o clássico. São muitos desfalques. Só de suspensos: Rhayner, Denílson, Yago, Kanu e o próprio Vagner Mancini. No departamento médico, as baixas são de Bryan e André Lima. Ou seja: se Neílton já é fundamental para o time completo, nesse contexto ele se torna nada menos que imprescindível. O camisa 10 é o artilheiro e líder de assistências do Rubro-negro nesta temporada e é o jogador de Série A que mais marcou até aqui.

Farias é um dos únicos jogadores que participou da campanha do bicampeonato. Busca em 2018 o tri.

Bahia e Vitória se enfrentam amanhã na Arena Fonte Nova às 16h. O Vitória tem vantagem e joga por dois resultados iguais para vencer o Campeonato Baiano e se sagrar tricampeão. A partida terá torcida única por conta de orientação do MP-BA e Luiz Flávio de Oliveira (FIFA-SP) será o árbitro central. Ele será auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP) e Marcelo Van Gasse (FIFA-SP).