Hora de sentar e falar sobre o futuro

Imagem: Google/Reprodução

Co-irmãos chegam ao final do ano com uma eleição pela frente. As duas equipes terminaram o ano na Série A, ainda que seus torcedores tenham encarado o final da competição de diferentes formas. Bahia e Vitória irão escolher os seus futuros presidentes nos próximos dias, tendo cada eleição peculiaridades inerentes aos clubes.

Montagem: Ibahia

No Tricolor, o triênio da gestão de Marcelo Santana chegou ao fim, sendo o último ano o melhor para gestão,  campeão da Copa do Nordeste e com o Bahia brigando até a última rodada por uma vaga na Libertadores. O gestor que herdar o clube na próxima legislatura, encontrará um ambiente extremamente favorável, podendo solidificar os planos da torcida Tricolor em voltar a pensar grande dentro da competição nacional.

Cinco são os candidatos ao cargo de Presidente do Esporte Clube Bahia: Abílio Freire, Guilherme Bellintani, Fernando Jorge Carneiro, Flávio Alexandre (Binha de São Caetano), além de Neusival Menezes. A disputa parece se afunilar com os nomes de Guilherme Bellintani e Abílio Freire, sendo o primeiro representante da continuidade da atual gestão e o segundo fazendo a linha de oposição moderada,  e tendo como grande cabo eleitoral, Virgílio Elísio (candidato a vice-presidente).

Pelo lado Rubro-negro a eleição não era algo programado para esse momento, afinal, a chapa “Vitória do Torcedor”

Foto: Divulgação

ganhou a eleição em dezembro de 2016, elegendo o Presidente Ivã de Almeida para um triênio até 2019. A gestão foi um fiasco, na qual, grupos internos começaram uma briga que acabou influenciando dentro das quatro linhas e forçando a renúncia do Presidente Ivã de Almeida, que estava licenciado desde julho.

A confusão pelo lado da Toca realmente foi grande e juntou nomes que um dia juraram guerra. Alexi Portela e Paulo Carneiro estão apoiando a chapa “Vitória Unido, Vitória Forte”, que terá como candidato a presidência Manoel Mattos. Outro nome para gerir o Leão é o de Ricardo David, candidato também em 2016,  defende o discurso de que o Vitória precisa de modernidade e deixar os “velhos nomes” de lado. Aos 45 do segundo tempo um candidato surge, Raimundo Vianna, que foi presidente tampão até 2016, demonstra-se motivado a disputar as eleições do clube.

Mais uma vez os torcedores sócios irão decidir o futuro dos seus clubes, pelo bem ou pelo mal, afinal, para isso que serve a democracia. No dia nove de dezembro, o torcedor tricolor saberá quem será o responsável pelos próximos passos do Bahia. O torcedor do Vitória tem a oportunidade de levar o time para outros caminhos no dia 13 de dezembro, mais uma tentativa de colocar o clube nos trilhos.

Osvaldo Barreto
Sobre Osvaldo Barreto 455 Artigos
Advogado. Estudante de Jornalismo (Estácio). Colunista e repórter do Esporte Clube Vitória.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*