Falta de liberação antecipada de ingressos prejudica estreia do Colo-colo

Welinton Nascimento, Gestor do Colo-Colo.Foto: Reprodução

O Colo-colo estreou na Série B do Campeonato Baiano no último final de semana, quando recebeu a equipe do Galícia, no estádio Mario Pessoa, na cidade de Ilhéus. Em meio a volta para competições oficiais e a tentativa de retorno a Série A do Campeonato Baiano, o torcedor do Tigre se viu surpreso com a dificuldade para compra de ingressos nos pontos de vendas e bilheterias.

Os gestores do clube ilheense informaram ao site Resenha na Rede que a Federação Bahiana de Futebol não encaminhou os ingressos de forma antecipada. Assim, o clube não pôde realizar a venda ao longo da semana, o que causou certo tumulto na hora do jogo.

De forma alguma há retaliação por parte da Federação. Tenho minhas considerações em relação a entidade por conta de outras coisas. Pedimos de forma bem antecipada os ingressos, afinal queríamos conforto para os torcedores, é sabido que o clube tem muito torcedor. A Federação nunca nos disse que havia problema para realizar a venda, enviamos um preposto para retirada dos ingressos na quarta-feira e quando ele foi buscar foi dito de boca que havia um problema jurídico e pronto. Nós já tínhamos comunicado a cidade inteira sobre a venda antecipada e o Delegado da partida só trouxe os ingressos pela manhã, assim, tivemos um prejuízo incrível de logística”, afirmou o gestor Wellinton Nascimento.

O gestor confirmou que há um problema jurídico, por isso os ingressos não teriam sido liberados, mas já ofereceu todas as garantias a Federação que a situação pode ser solucionada.

“Reconheço que existe um bloqueio judicial pequeno, mas oferecemos todas as garantias. Nunca veio nenhum oficio para o Colo-colo, já encaminhei emails duríssimos para Federação e nunca tive retorno. O Delegado da partida ficou em uma situação constrangedora pois não tinha esse ofício. Não temos aqui interesse em renda, quero que a torcida aqui comece a acreditar no futebol”.

Outro ponto envolvendo o imbróglio com a Federação é a quantidade de ingressos, foram disponibilizados 3.100 para comercialização. O número é inferior ao que clube reconhece como autorizado pelo corpo de bombeiros.

Além do mais, chegaram 1000 ingressos a menos. Dizem que tem um laudo (bombeiros), mas ninguém conhece o teor do mesmo, que ao invés de 4.100 ingressos, liberaram apenas 3.100. Nós desconhecemos esse laudo, o Delegado da partida também desconhecia, segundo informaram de forma informal é que trata-se de um laudo do ano passado e claro que não deveria valer. O estádio tem capacidade para 6 mil pessoas e veio um laudo com metade. Não vemos como retaliação, até porque não tem porque a Federação punir um pobre clube do interior”, completou o gestor.

O Colo-colo estreou com derrota para equipe do Galícia, perdendo a partida por 1 a 0. Na próxima rodada o Colo-colo vai a cidade de Teixeira de Freitas, encara o Portela Teixeira de Freitas, às 18h.

*O Resenha na Rede tentou obter posicionamento oficial da FBF, mas até o fechamento da matéria não logrou êxito.

Osvaldo Barreto
Sobre Osvaldo Barreto 701 Artigos
Advogado. Estudante de Jornalismo (Estácio). Colunista e repórter do Esporte Clube Vitória.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*