Ação de Cobrança milionária do Vitória S/A contra Paulo Carneiro está suspensa na justiça

Foto: Maurícia da Matta/ECV.

Autor e réu. A grosso modo, é essa a situação que o presidente do Vitória, Paulo Carneiro, vive neste exato momento. O clube move uma ação de cobrança contra seu próprio presidente, que geria o clube em 2005, e o vice-presidente da época, Walter Seijo. Mais um dos imbróglios que o clube carrega em nome da Vitória S/A.

A ação foi iniciada no ano de 2007 e tem valor de R$1.796.850,00 (um milhão setecentos e noventa e seis mil e oitocentos e cinquenta reais). No entanto, foi suspensa por decisão judicial em março de 2021, momento em que Paulo Carneiro já é novamente o presidente  conselho diretor do Vitória e diretor presidente da S/A.

O valor é referente a três cheques sacados em 2004 e que, segundo o Vitória S/A, não tem registro na contabilidade do clube, caracterizando como pagamentos irregulares.

Agora, Paulo Carneiro tornou-se o autor da ação, tendo em vista que, é o presidente do Vitória e diretor presidente do Vitória S/A. E ao mesmo tempo, Paulo Carneiro também é o réu, visto que, a ação tem ele como um dos réus.

Você sabe o que é um time empresa (S/A)? Entenda aqui.

Além de buscar a restituição do valor, o Vitória S/A contesta três confissões de dívidas datadas de 2005, que juntas totalizam o valor de R$445.310,00 (quatrocentos e quarenta e cinco mil e trezentos e dez reais). De acordo com a ação, também não existem documentos que comprovem as prestações de serviços das três empresas mencionadas.

Os réus, Paulo Carneiro e Walter Seijo contestam totalmente a ação e dizem que os cheques foram pagamentos referentes ao comissionamento da venda do ex-zagueiro Adailton e que, juntamente com as contratações das empresas, foram devidamente registradas e constam nos livros de contabilidade do clube.

14 ANOS DEPOIS, PC É PRESIDENTE DE NOVO

Foto: Thiago Pereira

Passados 14 anos do inicio da ação, o processo já deixou de ser físico e virou online; o Vitória deixou e voltou a ter S/A; sete presidentes já passaram pelo clube e o processo segue firma forte na 6ª Vara de Relações de Consumo de Salvador.

Em 2017, mais precisamente, um dia depois da renuncia do presidente Ivã de Almeida (27 de novembro), houve a primeira e única audiência sobre o caso, mas não se chegou a um acordo e o processo continuou.

Desde então, o Vitória não se manifestava no processo. Em abril de 2020, a juíza Patrícia Didier de Morais Pereira pediu para o Vitória se manifestar, sob pena de extinção da ação de cobrança. Agora, já na nova gestão de Paulo Carneiro, o Vitória pediu a suspensão do processo, alegando o momento de pandemia e a impossibilidade de realizar reuniões devido aos decretos estaduais e municipais.

A juíza autorizou a suspensão do processo por 120 dias e determinou que ao final do prazo o Vitória S.A se manifeste, para o processo seguir, caso não o faça, a ação de cobrança será extinta.

E quem representa o Vitória S/A Hoje?

Além de ser presidente do Vitória, Paulo Carneiro foi eleito novamente diretor-presidente do Vitória S/A, de acordo com ata obtida pelo Resenha na Rede e registrada na Junta Comercial da Bahia. Antônio Ferreira da Silva Neto é o presidente do conselho de administração, enquanto Walter Andrade Mota Filho exerce a função de vice-diretor presidente.

A reportagem buscou contato com o presidente do conselho de administração, que preferiu não se posicionar neste momento.

Breve Resumo da ação:

2007: Vitória S/A dá entrada na ação de cobrança contra Paulo Carneiro e Walter Seijo.

2007: Contestação de Walter Seijo rebatendo os argumentos.

2007: Contestação Paulo Carneiro rebatendo os argumentos.

2012: Manifestação do Vitória S/A sobre contestações dos réus.

2017: Audiência de conciliação, sem acordo.

2020: Intimação para o Vitória se manifestar, sob pena de extinção do processo.

2021: Suspensão do processo por 120 dias. Após o prazo Vitória precisa se manifestar, sob pena de extinção do processo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui