Onde está a verdade? Presidente do Conselho diz que PC estava impedido de ir ao vestiário

Foto: Reprodução

A guerra nos bastidores do Vitória segue a todo vapor. No último final de semana circulou um possível áudio do presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Fábio Mota, afirmando que o então presidente do Conselho Diretor, Paulo Carneiro, foi impedido de entrar nos vestiários para conversar com os atletas e que tal pedido partiu dos próprios jogadores ao recém chegado Wagner Lopes.

“Cê sabe qual foi o único pedido que o treinador novo, o Wagner, fez assim que chegou? Os jogadores foram pedir ao treinador para pedir ao presidente que não fosse no vestiário, porque ninguém aguentava mais ele no vestiário. Entendeu Suzy?”, diz o áudio.

Contudo, tal informação foi rechaçada por um grupo que se denomina como “Grupo de Apoio ao Leão”. Segundo o texto que circula em grupos de torcedores do Vitória, o primeiro contato do treinador não foi com o grupo e sim com o presidente, já que o elenco estava Belo Horizonte para enfrentar a equipe do Cruzeiro.

Confira o texto completo:

Após manifestações gravadas e divulgadas contra o Conselho Diretor, o desgaste do presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Fabio Mota, vem ficando claro. Afinal, o torcedor vem percebendo o seu papel de coordenação e o cunho político de todos os ataques.

Basta conquista de três pontos fora de casa para surgirem os engenheiros de obra pronta. Se já não bastasse a tentativa política de retirada do presidente do Conselho Diretor, o presidente do Conselho Deliberativo, Fabio Mota, lança inverdades ao seu grupo de apoiadores, na tentativa de também convencer os torcedores de sua falsa verdade e diminuir o desgaste inclusive com uma das torcidas organizadas do Vitória.

Após a partida contra a equipe do Operário, ao invés de exaltar o resultado, construído com um gol de um jovem atleta da base, o senhor Fabio Mota preferiu criar factoides e criar uma narrativa. Segundo o mesmo, na chegada do novo treinador, o elenco pediu para Wagner Lopes não permitir que o presidente Paulo Carneiro fosse ao vestiário. Uma lorota!

Ao tentar trazer para si os louros de uma vitória construída com atletas da base, fórmula que não é defendida pelos que cercam o presidente do Conselho Deliberativo, Fabio Mota deve lembrar que não vivencia o dia à dia do clube. Primeiro vale lembrar que Wagner Lopes foi uma aposta exclusiva do presidente Paulo Carneiro, criticado em sua chegada por todos os considerados cardeais. Também vale dizer que o primeiro encontro do treinador foi com o presidente, naquele momentoso Wagner não conhecia o elenco ainda, pois o time estava em Minas Gerais para enfrentar o Cruzeiro. Logo no primeiro encontro ficou claro a linha de pensamento convergente entre os dois e naquele dia, ao contrário do propagado pelo Sr. Fabio Mota, as palavras foram no sentido de aumentar a união no clube.

Falar de pedidos do elenco chega a soar como devaneio tolo do Sr. Fabio Mota. Afinal, ao contrário do que ele propaga, no atual elenco existe um sentimento de gratidão pelo Presidente Paulo Carneiro. Fabio Mota pode esquecer, mas os jovens atletas que estão no grupo não esquecem quem os lançou e quem bancou a permanência de cada um, mesmo contra os cardeais. Fabio Mota hoje não acredita no projeto de formação do clube, que vem começando a trazer importantes frutos, e tenta contaminar os próprios atletas com as suas inverdades.

Falar de má relação com jogadores e Paulo Carneiro chega a soar como piada. Agora, eles fazem questão de esquecer que Paulo tem mais de 30 anos convivendo com jogadores de futebol. Além de presidente do Vitória, esteve presente na reestruturação do departamento de futebol do clube Athletico-PR. Isso tudo vale lembrar, para aqueles que não sabem e nunca viveram o real ambiente do futebol.

Grupo de Apoio ao Leão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui